logo Vão Jogar!
logo Vão Jogar! Papo Livre

Indies E O Porquê De Você Ter De Jogá-Los

Tá cansado do que o mercado te oferece hoje em dia? Que tal provar algo diferente do comum? Você conhece os indies? Não não, você conhece MESMO os indies? Pois esse post é justamente a minha visão sobre esse assunto (e o porquê você deve jogá-los agora mesmo).

autor Hugo "Somari" Couto   datahora 25/07/2014 às 12:09:38   tagarelices 17

Tá cansado do que o mercado te oferece hoje em dia? Que tal provar algo diferente do comum? Você conhece os indies? Não não, você conhece MESMO os indies? Pois esse post é justamente a minha visão sobre esse assunto (e o porquê você deve jogá-los agora mesmo).


Esse termo já não é muito incomum. Afinal, para todo o lado em que você olha já logo vê um jogo desse “Macro-gênero”. Mas afinal, o que são jogos indies? Ou melhor, por que eles são tão bons assim?

O gênero começou a pipocar lá para os idos de 2010 mais ou menos, tendo ganhado mais destaque com jogos como Braid e Minecraft. São basicamente feitos por desenvolvedores independentes e, no geral, são muito bem recebidos pela crítica. Mas porque disso? Simples! Feitos de fãs para fãs, oras. Afinal, qual jogo de algum estúdio grande do gênero metroidvania você já viu lançando? Algum que seja digno do nome, claro. Pois é, difícil.

Os indies tem resgatado muito a nostalgia dos jogadores, com side scrollers, dificuldades e tudo mais que um bom jogo de SNES tem direito. FEZ é um exemplo. Gráficos simples, jogabilidade razoavelmente complexa. Um jogo de plataforma que se mistura com puzzle e é daqueles que você fica com vontade de demorar na fase, só para conseguir pegar tudo o que tiver na tela. Sério! É um jogo que vale muito.

FEZ
Essas cores vibrantes e esses gráficos simples fazem de FEZ um dos melhores jogo desse gênero, na minha humilde opinião

Outra coisa que fazem os indies serem melhores que o das empresas grandes são os caprichos em que eles desenvolvem a arte das coisas. E não, não adianta vocês falarem que AH, MAS INDIE SÓ FAZ JOGO 2D E JOGO 3D É MAIS COMPLEXO E MAIS REALISTA E MIMIMI. Essa aí não cola mesmo.

Braid
Parece ter sido feito à aquarela. Algo lindo de se ver!

Pegue Braid, por exemplo. O estilo gráfico usado ali é simplesmente fantástico. Totalmente baseada em pinturas e com excelente ambientação. Mas a questão não é só essa. Se você for parar para ver, a equipe de artistas que trabalham em Call of Duty, por exemplo (e me desculpem os fãs, mas arte feita com a bunda) pode até mesmo chegar ao dobro de gente que trabalha num jogo indie. Aliás, você achou FEZ bonito? Pois saiba que ele foi feito por uma pessoa só.

Isso é algo que me faz gostar ainda mais dos indies. Eles não visam principalmente o lucro do jogo. Ele é feito em cima de muito empenho e muito capricho. Cada detalhe é visado para que o jogo fique o mais perfeito possível e essa dedicação toda faz com que, de certa forma, o jogo fique carismático. Além do mais, geralmente esses estúdios pequenos tem mais contatos com fãs. Vá em qualquer Twitter ou Facebook dessas empresinhas e vocês verão que eles respondem os fãs, ao contrário do que acontece em várias grandes. Aliás, falando nisso, nem sempre um jogo indie é distribuído pela própria empresa que o faz. DuckTales Remastered é um exemplo disso. Feito pela Way Forward (que sempre faz um belo trabalho, no geral), mas distribuído pela Capcom. Então já fica de alerta que nem todo jogo “feito” por algum estúdio, é de fato feito por aquele estúdio.

DuckTales Remastered
Indie! Woo-hoo

Então tá. Já sei que as empresas são pequenas e gente fina, que eles tem qualidade e tudo mais. Mas e aí, o que me recomenda?” você me pergunta nesse momento. Certo, então vamos falar de alguns jogos que eu já joguei e de alguns que estou esperando muito, só os principais por enquanto.

A Hat in Time

Talvez esse seja o jogo que mais estou esperando no momento. Sim, é indie. Sim, é 3D. Os gráficos cell shading que parecem terem sido ripados de The Legend of Zelda: Wind Waker HD são simplesmente sensacionais, tais como o jogo da Nintendo que citei agora.

A Hat In Time
CELL SHADING S2

É um jogo assumidamente inspirado nos jogos de Nintendo 64. Tão baseado que o compositor das músicas é nada mais nada menos que Grant Kirkhope! Não conhece esse cara? Então lembre das músicas icônicas de Banjo-Kazooie, GoldenEye, Perfect Dark, Donkey Kong 64 e alguns outros. Se você não conhece esses jogos, por favor, pare de ler agora (e vá jogar esses jogos. Aí você volta e continua, ok?). A própria descrição da empresa sobre o jogo é um “pense em Banjo-Kazooie, Super Mario 64 e The Legend of Zelda juntos em um só”. Ou seja, dispensa comentários, não é?

ISSO é o que eu espero jogar em um vídeo game hoje em dia

Por enquanto ainda não está disponível e as únicas plataformas previstas são PC, Linux e Mac (mas espero de coração que ele vá parar no Wii U também, afinal é um jogo 100% baseado em uma plataforma da Nintendo).

Limbo

Limbo

Outro grande jogo indie, um dos primeiros a fazerem sucesso nesse segmento e um dos mais bonitos também, na minha singela opinião. É simples demais para chegar no status de belo. Basicamente os gráficos se resumem em várias camadas de sombra e o jogo em si é um conglomerado de puzzles e seu personagem se fodendo praticamente o tempo inteiro. E não, você não vai zerar Limbo sem morrer pelo menos o suficiente pra ficar puto com o jogo, da mesma forma como você não vai conseguir parar de jogar logo.

Limbo Aranha
E você achando que VOCÊ estava na pior, né?

O jogo te joga numa atmosfera de... Limbo. Você é um garoto largado num lugar pra morrer e tem que se virar do jeito que pode pra sobreviver. O ponto forte desse jogo é a interatividade com o cenário, seja isso bom ou ruim. Cair de lugares altos te faz morrer, você pode puxar ou empurrar quase tudo que tem no cenário e quase tudo no cenário também pode te matar. Sim, esse jogo é legal. Limbo está disponível para Steam, PS3, Xbox 360 e PS Vita.

Shantae

Shantae é um típico jogo da geração 8 bits. Plataforma, poderzinhos, bichinhos e uma história simpática. Agora em HD. O primeiro Shantae foi lançado para Game Boy Color e agora relançado para o eShop do 3DS. Eu recomendo MUITO que vocês comprem para o portátil da Nintendo, pois é muito provável que vocês não tenham dinheiro suficiente para pagar os mais de 300 dólares cobrados por um cartucho avulso do jogo original (isso SE acharem) e nem adianta procurar ROM, pois vocês podem até achar, mas é pouco provável que o emulador que vocês usem rodem.

O original de GBC que você nunca irá ver um cartucho na vida... provavelmente.

Além desse, há mais jogos da série, como Shantae: Risky’s Revenge que é a continuação do jogo, lançado originalmente para DSiWare, depois relançado para iOS e agora com versão Director’s Cut na Steam. Há também mais dois jogos vindo aí: Shantae and the Pirate’s Curse para o eShop do 3DS e Shantae: Half-Genie Hero para Wii U, Xbox 360, Xbox One, PS3, PS4, PSVita e PC.

Shantae: Half-Genie Hero

Shantae and the Pirate’s Curse

Sobre o jogo: gráficos bonitos e coloridos, música animada e que te joga bem no ambiente, história divertida e cativante. E só lembrando que esse é um jogo da Way Forward, a mesma que fez DuckTales Remastered (que eu disse ali em cima e que também recomendo). E sim! Vale cada centavo investido no jogo. E uma dica: os do eShop são baratinhos, então aproveitem. ;)

90’s Arcade Racer

Não sei se vocês vão se lembrar do Sonic Fan Remix, aquele remake (lindo) do Sonic 2 que estavam projetando para PC, mas que a SEGA embargou e que inclusive tem uma demo-alpha do jogo disponível para download? Pois é. Depois que tiraram os sonhos do grupo de lançar esse jogo (e o nosso de jogar uma versão decente de algo parecido com Sonic 4 Episode II), resolveram que não iriam desperdiçar a engine, homenageando outro jogo da SEGA, mas de forma menos descarada.

90’s Arcade Racer
Se ele parece com o Hornet, não é por pura coincidência

Assim surgiu esse jogo cujo o próprio nome já diz tudo. 90’s Arcade Racer é um Daytona que o tempo esqueceu e que não vemos desde o fim do Dreamcast (mas que voltou há não muito tempo no XBLA e PSN).

Referencias à Daytona, Virtua Racing e Sega GT é o que não faltam aqui

É um jogo de corrida bem ao estilo dos anos 90 mesmo. O cenário, os carros, tudo. Com a diferença dos gráficos bonitos, claro. Se a SEGA fosse fazer um novo Daytona, 90’s Arcade Racer seria esse jogo. Ele estará disponível para PC e eShop de Wii U ainda em 2014.

FEZ

FEZ é outro jogo genial. É um jogo 2D que usa uma espécie de 3D para formar o cenário. Pense assim: se você não consegue atravessar algo, basta girar o cenário para formar novas plataformas e assim atravessar o que você quer. Em resumo é um jogo de puzzle que usa o cenário como quebra-cabeça. A diversão fica em você ficar andando pelo cenário tentando pegar tudo. Disponível para Xbox 360, PS3, PS4, PSVita e Steam.


Chroma Squad

Esse é outro jogo que parece ser bem genial. Imagine um Power Rangers Tactics. É isso, basicamente. E sabe o que é mais legal? Esse aí é brasileiro! E tá chamando a atenção do mundo todo, inclusive a própria produtora dos Power Rangers já notaram o jogo e entraram em contato judicialmente, já que o jogo é MUITO parecido com Power Rangers.

Chroma Squad
É HORA DE MORFAR!

Aparentemente a Saban, que é detentora dos direitos dos heróis coloridos originais, entrou em contato com o estúdio brasileiro para acertarem um acordo benéfico para ambos. Basicamente uma parte do dinheiro da venda vai para a manutenção dos Mega Zords, já que o custo para manter robôs daquele tamanho é muito caro e as peças são importadas de algum setor desconhecido do universo. Resumindo: comprando Chroma Squad, você ajuda a manter a terra a salvo (exceto pela maquet... cidade que sempre é destruída após uma luta contra algum capanga gigante da Rita). Ainda não há plataforma definida, além do PC, claro.

Pier Solar

Um típico RPG 16 bits, com cenários bonitos e muito colorido. Boas músicas, boa história e tudo mais que um RPG dos anos 90 tem, lançado primeiramente em 2010. “Tá, mas isso já é meio clichê hoje em dia. Tem muito RPG baseado em 16 bits atualmente”. É, tem razão. Isso seria apenas mais um RPG 16 bits... se não tivesse sido lançado PARA um console 16 bits de verdade. “Como assim?”, você me pergunta. Pois se você não sabe, Pier Solar foi originalmente lançado para o Mega Drive em 2010, e ganhou o título de “maior cartucho de Mega Drive” ou “cartucho com maior memória”, se vocês preferirem.

Trailer da versão de Wii U. Pena que não tem trailer para Dreamcast ):

Como já disse, é um típico RPG de 16 bits. Pensem num Final Fantasy. Pois é mais ou menos isso. O jogo pro projetado de início para PC, mas o projeto acabou crescendo e indo para o Mega Drive. Estranho, né? E o projeto é liderado por um brasileiro! Agora em 2014 o jogo virá em versões HD para PC, Mac, PS3, Xbox 360, Wii U, 3DS, Android, Ouya e, acreditem, Dreamcast!

Journey

Journey é outro jogo lindo, lançado exclusivamente para PS3. Já ganhou prêmios de melhor soundtrack e possui um dos gráficos mais lindos que já vi nesse console. É complexamente simples e simplesmente complexo. Jogabilidade de fácil aprendizado e... enfim, não dá pra explicar direito. Apenas joguem e deliciem-se com a beleza artística do jogo.


Enfim, eu poderia passar uma eternidade aqui citando jogos indies. Esses são alguns dos que me vieram na cabeça e eu consegui fazer uma descrição legal para apresentar à vocês, caso não conheçam algum. Como menções honrosas posso falar de Shovel Knight, Braid, Ghost Song, Heart Forth Alicia e outros. Jogos que resgatam a beleza dos jogos 2D e a complexidade e dificuldade dos metroidvania, músicas lindas e tudo mais. Se hoje você quer investir no mundo dos games, vale muito a pena começar pelos indies.

Gunman Clive 2. Um dos jogos mais bonitos e legais disponíveis para o eShop de 3DS, incluindo essa música

Ah é! Transcendendo um pouco a barreira dos softwares, vamos falar de placas, circuitos e coisas que você consegue pegar. Sim, existe um console indie.

Ouya

O Ouya é um aparelho de mais ou menos o mesmo tamanho de um cubo mágico que conta com processador Tegra quad-core e 1 Gb de RAM e tem o Android como seu SO. Isso significa que você já tem uma extensa biblioteca de jogos que pode desfrutar no pequenino (incluindo emuladores) e além disso há os jogos que são otimizados para o aparelho e que rodam em 1080p. Sonic 4, Final Fantasy III e Shadowgun são alguns desses jogos. Mas não só isso! Há também os jogos exclusivos, como That Dragon Cancer, Neverending Nightmares, Polarity, Whispering Willows e alguns outros.

De fato o Ouya não é AQUEEELE console parrudo e que bate de frente com os das grandes empresas, mas pela bagatela de US$ 99,00. pelos jogos praticamente dados em sua loja virtual e pela lista já disponível dos jogos de Android (e o fato de não jogar naquelas malditas telas de celulares), talvez valha o investimento.

Alguns indies também gostam de brincar em algumas plataformas já mortas. Como já disse, Pier Solar foi lançado primeiro para Mega Drive, e isso em 2010. Além desse, outro console que é muito usado por esses desenvolvedores independentes é o Dreamcast, que sempre recebe um jogo novo. Pier Solar é um dos que vai dar as caras nele. Sidney Hunter and the Caverns of Death vai pintar no SNES e Dreamcast em 2014. Se vocês acharam que o console é uma porcaria e estava morto, pensem duas vezes pois ele está mais ativo que o PS2.

Pois é, o submundo dos indies é mais movimentado do que vocês veem na página inicial da Steam e vai muito além do já chapado Minecraft. Cada vez mais eles aumentam a biblioteca do Dreamcast, cada vez mais uma nova ideia genial surge e cada vez mais eles deixam as grandes empresas no chinelo com seus jogos com fórmulas repetidas inúmeras vezes.

Recomendo demais vocês darem atenção para esses desenvolvedores, pois eles possuem jogos de todos os tipos que vocês imaginarem, desde plataforma clássica até FPS e de jogos de esportes, que são a bola da vez. Também recomendo MUITO que vocês assistam o documentário "Indie Game: The Movie", que conta um pouco da produção de alguns desses jogos que falei e como é a (difícil) rotina de um desenvolvedor indie.

Indie Game: The Movie

Então me façam um favor: ajude essa galera pequena, compre um jogo indie e Vão Jogar!! É certeza que é coisa boa :).

outras tags: 90’s Arcade Racer, A Hat In Time, Chroma Squad, Duck Tales, FEZ, Journey, Limbo, Pier Solar, Shantae (Série) e Ouya

Compartilhe

Pin it


Leia também...



17 tagarelices já foram feitas!


e-mail  
nome  
localização  
site  
tagarelice   ativar o editor de texto desativar o editor de texto


E-mail Receba notificações para novas:     ok respostas      ok tagarelices      ok publicações

 

  • avatar de Fgap10
    Fgap10
    25/07/2014 às 12:36:29   localizacao São Paulo
    belo texto, e os indies são muito bons, estou tentando entrar nessa onda de produzir um, em breve vocês vão me citar ae haha. E gunman clive é o melhor de todos!

    Responda!
  • avatar de leandro (leon belmont) the devil summoner
    leandro (leon belmont) the devil summoner
    25/07/2014 às 12:58:17   localizacao Recife-Pe
    o bom do Steam é que se procurar, tem vário jogos indies legais e não apenas esses mencionados no post. parabéns Somari. e não diria que Pier Solar é indie, só pelos gráficos de 16 bits? e como é que não tem para o PC?

    Responda!
  • avatar de Somari
    Somari
    25/07/2014 às 15:26:46
    Leandro, eu não considero Pier Solar indie pelos gráficos 16 bits, mas sim por ter vindo de um estudio independente e ter sido lançado no mercado, a diferença é que ele veio primeiro para o Mega Drive. Em 2011 chegou a sair uma rom com uma demo desse jogo, mas ele full não pode ser reproduzido por nenhum emulador (que eu saiba) por causa do tamanho da memória do cartucho. Ele é o único cartucho de Mega Drive que conta com 64 mega de ROM. Agora em 2014 está vindo uma versão em HD para vários consoles, incluindo PC, Ouya e Dreamcast.

    E valeu pelo elogio, pessoal :D espero que tenham gostado!

    Responda!
  • avatar de Alexandre Moreira Xavier de Sele
    Alexandre Moreira Xavier de Sele
    25/07/2014 às 15:28:53   localizacao Mirassol/SP
    Ótimo texto, deu vontade de jogar todos... acho que vou começar pela Shantae na eshop do 3DS e o FEZ no PC.

    Legal é quando vc concorda totalmente que quem não jogou Banjo-Kazooie, GoldenEye, Perfect Dark e Donkey Kong 64 deveria faze-lo agora auhauahuah.

    A Hat in Time é uma surpresa para mim... procuro um jogo como Banjo-Kazooie e Super Mario 64 e desde o N64 e mas nunca obtive sucesso.

    Só tenho uma dúvida quanto ao FEZ... Ele é muito Puzzle ou mais plataforma? Os puzzle são mto complicados? acho que vou jogar com minha namorada, então queria saber se o jogo é feito por fases, que seriam esses mapas pequenos que vc roda, pq se for assim é bom jogar de 2... só passar o controle qdo passar de fase kkkk
    vlww

    Responda!
  • avatar de Somari
    Somari
    25/07/2014 às 18:53:31
    Fgap10, vou querer jogar teu jogo, hein! haha E se você precisar de ajuda no enredo, pode me mandar uma proposta que a gente bate um papo 8D Se quiser inspiração, dá uma lidinha em alguns dos meus escritos mais antigos hehe To torcendo pra ver um teaser logo, viu!?

    Alexandre, pois é! Quem perdeu essas pérolas do Nintendo 64 e alguns outros do PS1, Saturn e talz não sabe MESMO o que é video game de verdade haha Cara, se você tiver um PS2 ou um GameCube/Wii dando bobeira aí, sugiro que você jogue Ty the Tasmanian Tiger e I-Ninja. Caso você não conheça nenhum desses dois, são excelentes jogos de plataforma no melhor estilo Crash Bandicoot e Spyro (e não são tããão conhecidos assim). Sobre FEZ, eu não sei dizer se ele é um puzzle com plataforma ou plataforma com puzzle. Acho que posso dizer que ele é um platazzle ou puzzlaforma, porque é bem isso mesmo: você gira o cenário para montar as plataformas pra você passar, basicamente o que tá ali no video mesmo. E o legal de jogar com alguém ali é que um fica dando dica pro outro e passar o controle é legal e romântico hehe Recomendo mesmo! A Hat in Time também é um jogo lindo lindo lindo! E terá coop, como mostrado ali no video. Shantae também é outro excelente que vale muito o investimento, e o melhor é que, pelo menos os que estão no eShop do 3DS, são bem baratinhos. Aliás, falando em baratinho, Gunman Clive tá saindo por menos de 5 reais no eShop! Vale MUITO a pena comprar.

    Responda!
  • avatar de Somari
    Somari
    25/07/2014 às 18:54:56
    Ah! Fgap10, recomendo que você assista aquele documentário que eu citei ali, já que você pretende fazer um jogo. Vai te dar várias idéias de várias coisas.

    Responda!
  • avatar de Rafael "Tchulanguero" Paes
    Rafael "Tchulanguero" Paes
    25/07/2014 às 19:14:50   localizacao Vespasiano - MG
    Eu tenho Braid e Limbo na minha conta Steam, mas até hoje não zerei eles, difícil animar jogar no PC. No Wii U tem muita coisa bacana por lá, eu é que não tenho tempo e dinheiro para ficar experimentando, mas tem aquele Blok Drop U que te falei. Agora, um que eu estou com muita vontade de jogar é o Shovel Knight, parece ser bacana demais.

    Excelente escrito cara, valeu, abraço!

    Responda!
  • avatar de Sekto
    Sekto
    05/08/2014 às 12:05:23   localizacao São Luís-MA
    Sempre que leio sobre Indies sinto uma vontade enorme de jogar mas fica difícil pq não tenho PC em casa pra jogar e no console não baixo nada.
    Acho que a solução seria um dia um console a la Ouya, mas voltado exclusivamente aos Indies em questão.
    Mas confesso que acho que os Indies aos poucos estão perdendo o brilho, e logo veremos esse mercado como uma fonte de renda que vai atrair mais gente pensando em lucro do que em fazer jogos divertidos e nostálgicos.

    Excelente escrito :)

    Responda!
  • avatar de Somari
    Somari
    05/08/2014 às 20:58:47
    Pois é Tchulanguero. É complicado jogar no PC (a menos que você tenha uma máquina específica e preparada para isso). O bom é que nessa categoria pelo menos a grande maioria dos jogos feitos não exigem tanto da máquina (joguei Limbo e Braid no meu infame STI antigo haha)

    Sekto, eu penso o mesmo, viu rapaz... E temo bastante por isso também. Já há alguns jogos que são assim, feito nas coxas visando somente os lucros. E sobre o Ouya, antes de você comprá-lo é bom dar uma estudada bem antes de tomar quaisquer decisão. Ele é um excelente aparelho mas peca MUITO no quesito exclusividade. Não são tantos assim que você possa realmente ter para dizer HEY EU TENHO UM OUYA batendo as mãos no peito. Por outro lado, além dos poucos exclusivos, ele é excelente para se jogar os títulos de Android e emulação e talvez até bom para se fazer um jogo para ele, caso você saiba (aí a dica, Fgap10!).

    Para os indies o mais recomendado mesmo é o PC, mas cada plataforma sempre vai ter AQUELE jogo que vai te fazer querer ter um outro console.

    Responda!
  • avatar de Fgap10
    Fgap10
    06/08/2014 às 13:25:04   localizacao São Paulo
    Haha, vlws pelas dicas, eu tava tentando conseguir uma licensa pra desenvolver pro Wii U, mas a Nintendo não dá suporte pro Brasil =( vou tentar com a Microsoft pra ver, e vocês daqui vão ser os primeiros a terem acesso ao jogo =D Só espero que a época dos indies não passe hehe

    Responda!
  • avatar de sucodelarangela
    sucodelarangela
    06/08/2014 às 13:49:37   localizacao São Luís - MA
    Suma, meu fi!!!

    Esse Braid eu já ouvi falar muito, mas nunca tive a chance de jogar. E Fez, eu já tinha ouvido falar, mas nunca tinha parado pra ver como era, achei muito foda esse lance de girar a câmera!

    Recomendo fortemente Limbo, é um jogo fantástico. Entre eles também tenho o Journey, que é um dos jogos mais bonitos que já joguei.

    Se gosta de coisa muito louca, recomendo jogar Hell Yeah! Wrath of the Dead Rabbit, que é muuuito divertido.

    Responda!
  • avatar de Somari
    Somari
    06/08/2014 às 15:17:19
    Fgap10 A Nintendo é foda com isso de licenciar devkits pra cá :/ Já vi alguns casos disso no Brasil. Tente com a MS mesmo, acho que eles dão mais suporte sim. E eu vou ficar feliz em bater a cabeça no teu jogo! 8D (leia-se dar uma testada). E não se preocupa se a "onda indie" passar. Se se preocuparem com isso aí que essa onda passa. Faça seu jogo e boa sorte!

    sucodelarangela ESSE JOGO É MUITO FODA! UEHAUEHUHE Eu cheguei a jogar no PC e acho que fiz um buraco no HD do PS3 do meu amigo jogando isso. É muito sarro! E se você puder, baixe a demo desses jogos que eu falei pra bater a cabeça neles e ver o que você acha. Fez eu recomendo bastante!

    Responda!
  • avatar de Sekto
    Sekto
    06/08/2014 às 18:00:39   localizacao São Luís-MA
    Posso dar minha opinião de hater ou qqr coisa do tipo? ^^
    Não compro um jogo indie pro One por exemplo pq sei lá, to com um console foderoso pra jogar games que rolam de boa num smartphone?
    Fico meio revoltado mas não é uma raiva com os indies, e sim com o pessoal que não faz jogo pra testar console. E isso que eu falei foge um tanto do escrito em questão mas é só linkar com o que falei de um Console exclusivo para indies. Daí sim, eu cairia de cabeça nesse mundo que conheço muito pouco.

    Sobre esse FEZ achei genial o gameplay e fiquei muito curioso pra pegar ele, mas como eu falei: Não baixo nada no console, então, vou ficando sem jogar esse. :-(

    Responda!
  • avatar de Rafael "Tchulanguero" Paes
    Rafael "Tchulanguero" Paes
    06/08/2014 às 18:54:47   localizacao Vespasiano - MG
    @Sekto

    Nesse caso eu acho que você está olhando através de uma lógica invertida. Não é culpa dos indies estarem no Xbox One, e sim dos outros ainda não estarem em peso. Eu no caso do Wii U por mim jogaria tudo nele, muito mais comodo.

    Responda!
  • avatar de sucodelarangela
    sucodelarangela
    07/08/2014 às 13:16:11   localizacao São Luís - MA
    @Suma

    Eu comecei a jogar o Hell Yeah! no PC, mas é muito ruim, eu sou horrível pra jogar no teclado. Mas tou pensando seriamente em pegar ele na PSN! o/

    @Sekto

    Eu acho que te entendo um pouco, conterrâneo!
    Se eu tivesse um PS4 ou um One também não iria querer jogar só indies nele. Sei lá, pelo preço que se paga, a impressão que dá é que seu console está sendo subvalorizado. Mas a questão é que é bem isso que o @Tchulanguero falou, o problema atualmente é que SÓ TEM INDIE!!! Não tem mais nada pra jogar neles...

    Responda!
  • avatar de Somari
    Somari
    07/08/2014 às 13:45:59
    Mas aí que tá, Sekto. Jogar indie em plataforma tal é consequência, assim como qualquer outro jogo. No caso do Xbox One, o problema é que tem saído muito pouco de real importância pra ele, exclusivo menos ainda, e no meu caso em particular não há praticamente nada que me atraia comprá-lo (e o irônico é que o único jogo exclusivo que me chamou a atenção pro Xbox One nessa E3 foi Ori, um jogo indie lol).

    Responda!
  • avatar de Gamer Caduco
    Gamer Caduco
    11/09/2014 às 11:47:04   localizacao SP
    Pronto, agora sim, lido! Deixei esse texto pra ler com calma de propósito, gosto bastante do tema ’jogos independentes’.
    Quem não dá bola pra essa categoria de jogos não sabe o que está perdendo. Muitos desses a gente pode chamar de jogos de verdade, ainda mais comparado a muito jogo AAA que tem por aí.
    Ouvir "3D realista e mimimi" é deprimente, realismo não é sinônimo de qualidade, nem de beleza e nem de diversão. Acho que isso tem muito a ver com o texto que o Willi Weis públicou recentemente. Então nem vou falar muito.
    O que me irrita um pouco nesse assunto é quem só joga pq é produção independente, saca? Ou então só diz que é bom pq é da categoria. Sério, tem muita gente assim. Na minha humilde opinião, não é pq não foi feito por uma empresa de 6 zilhões de pessoas que não deve ser criticado como jogo, ou que deve ganhar algum bônus na hora de receber uma nota ou algo assim. Jogo é jogo (e vice-versa... kkkk), tem que ser analisado como tal.
    Estou jogando justamente FEZ no Vita praticamente todo dia antes de dormir, pq é um jogo bem leve e tal. A mecânica do jogo e a idéia do Phil Fish é incrível, mas não tô achando o jogo tudo isso no conjunto geral. Falta alguma coisa, não sei dizer o que. Ainda não, pelo menos. Acho que sou um velho chato mesmo! kkkk
    Já Limbo joguei 2x e achei incrível, pelo desafio imposto, pelos gráficos, tudo! É um baita jogo, no conjunto geral. E os dois são jogos meio plataforma e meio puzzle.
    Voltando ao Phil Fish, só de citar o nome dele lembro que nem todo desenvolvedor independente é gente fina... huahuahuahuahua
    Putz, WayForward me lembra automaticamente Double Dragon Neon, um jogaço! Tem todo espírito retrô no jogo, inclusive da própria franquia, os caras mandaram muito bem.
    Deixa eu me redimir de um vacilo cometido no post sobre Fan Games: Sonic Fan Remix é muito bom! Pena que abandonaram! Bem lembrado. Agora, o que eu não sabia é que os mesmos caras estão fazendo o 90’s Arcade Racer. Esse jogo parece muito bom, eu quero muito jogar!
    Chroma Squad também! Power Rangers Tactics foi foda! kkkkk... pra eu que sou velhinho soa mais como Changeman Tactics! aahuauhahuaa... e "parte do dinheiro da venda vai para a manutenção dos Mega Zords" também me fez rir um bocado aqui, quem dera isso existisse mesmo! hahaha! Outro jogo que tô torcendo que saia pra consoles.
    Aliás, o mais legal da categoria ter evoluído e de estar cada vez mais reconhecida é o fato de lançarem em consoles, eu acho isso o máximo! Pq, como já falei, não consigo me empolgar jogando no PC, mesmo com HDMI, controle e o caramba, é bloqueio mental mesmo. Aí quando esses jogos saem em consoles eu fico contente! Um que me divertiu um bocado durante algum tempo foi o Mutant Mudds Deluxe, depois dá uma olhada nele. É deliciosamente irritante em alguns momentos! huahuauha
    Journey dispensa comentários. Pier Solar eu cheguei a pegar o do Mega e não comecei pq quero jogar com o áudio no SEGA CD. E adivinha o que falta pra isso? Sim, o SEGA CD! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Outros que quero muito conhecer: Shovel Knight, Braid, Shantae e To the Moon. Parecem ótimos!
    Foda, são muitos jogos ótimos. Super Meat Boy também!
    Sobre o Ouya, tenho um baita receio dele. Reza a lenda que o controle não é bom, tem problemas de conexão via bluetooth. Só que vi também que funciona com outros controles, talvez um dia acabe dando uma chance.
    E preciso assistir "Indie Game: The Movie", bem lembrado.
    Cara, é isso! Texto fodástico! Se eu fosse vc, convencia o Tchula a deixar vc fazer mais posts sobre indies, tipo análises rápidas sobre alguns jogos da categoria que vc chegou a conhecer. Acaba apresentando muita coisa legal pra galera.
    É isso! Meu pequeno comentário! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responda!
Acompanhe as tagarelices deste escrito por e-mail
e-mail  

       

fechar

Parceiros & Links

47|Arquivos do Woo|http://arquivosdowoo.blogspot.com.br|De tudo um pouco na medida certa.§42|Gamer Caduco|http://gamercaduco.wordpress.com|Histórias de um gamer que está cada vez mais próximo de caducar de vez.§61|Nação Cucamonga|http://nacaocucamonga.blogspot.com.br|A cultura do terceiro mundo esmagando a do primeiro.§58|Videogames com Cerveja|http://www.vgscomcerveja.com.br|Videogames com Cerveja é um blog sobre games, cujo o principal objetivo é compartilhar experiências "videogamísticas" (tanto na jogatina quanto no colecionismo)! Então não espere encontrar muitas notícias ou reviews detalhados sobre games por aqui!§43|My Detonation|http://mydetonation.blogspot.com.br|O blog do grande Trevoso, sobre o que ele joga, jogou e quer jogar, com indicações de downloads e vídeos.§52|Marvox Brasil|http://marvoxbrasil.wordpress.com|As formas mais variadas do universo dos games e vídeogames em um só lugar. Matérias, detonados, curiosidades, podcasts e vídeo-análises. Leia o Blog MarvoxBrasil e desperte o gamer em você!
logo
Vão Jogar! - Um site que aborda a cultura dos videogames com seriedade e bom humor.
Vão Jogar! & TMS criados por Rafael "Tchulanguero" Paes - 2008 ~ 2017
topo rodapé