logo Vão Jogar!
logo Vão Jogar! Butecada da Vez

Butecada Da Vez - Nº 8: Da Representatividade Da Diversidade No Mundo Dos Jogos

Quando o realismo em jogos, ou a falta de, passa bem longe dos gráficos.

autor Rafael "Tchulanguero" Paes   datahora 23/05/2014 às 12:07:18   tagarelices 11

Quando o realismo em jogos, ou a falta de, passa bem longe dos gráficos.


Não é incomum um jogo ganhar grande repercussão por algo que não tem relação com o ato de jogar. Quem não lembra dos casos de Carmagedom e Counter Strike, por exemplo? Mas nem sempre o ponto central gerador da discussão é a violência. Recentemente a Nintendo anunciou a versão ocidental de um jogo para 3DS chamado Tomodachi Life, que nada mais é que um daqueles jogos em que você entra em um mundo que mescla "brincar de casinha" com "jogo da vida". Como não poderia deixar de ser, nesse jogo onde o seu Mii é utilizado como avatar, você pode ter um parceiro(a) e... Hey! De repente algum cara notou que não poderia ter o seu namorado representado no jogo. Simplesmente não há opção de relacionamentos gays! Foi criada uma campanha, pediram para a Nintendo, e depois de algumas respostas atrapalhadas, a empresa nipônica mandou um "galera, esse aqui vai continuar assim, mas na próxima nós cuidamos disso" e sumiu na neblina. Não vou nem dizer o quanto isso deixou a galera puta com a empresa. Mas esse não é o primeiro caso que vemos algo do tipo, quem não se lembra do primeiro Mass Effect? Nele rolava homem com mulher, mulher com mulher... mas nada de homem com homem, fato que só foi devidamente reparado no segundo jogo da série.

Então depois de dito tudo isso, nós queremos saber a sua opinião sobre o assunto. Acredita que a reclamação é válida, e que as pessoas tem o direito de ter suas opções mais básicas devidamente representadas nos jogos? Ou acha que a nossa sociedade ainda não está preparada o suficiente para este tipo de coisa? Vilxi, assunto complicado, mas como não existe tabu no buteco, hora de saber a opinião dos butequeiros!

Somari
Somari

Pois é! Esse é um assunto meio delicado, não pelo tema em si, mas pelas posições das empresas em relação à tal. Eu particularmente não tenho preconceito nenhum sobre, mas também nunca parei para pensar no caso. Então, Somari, vamos lá criar uma visão do caso.

Primeiramente, o mundo hoje é bem diferente do que era há 10 anos atrás, por exemplo. Hoje em dia, homossexualidade já não é mais considerado um tabu como era antes - até já tivemos beijo gay em novela. Mas claro, há uma resistência monstruosa por parte das pessoas ao tocar no assunto. Muitos pais acham que é o fundo do poço quando seu filho ou filha se assume homossexual e acham que se tocar nesse assunto vão transformá-los instantaneamente em um. Ou seja, hoje em dia todas as pessoas sabem o que é o gay e a lésbica, mas a maioria preferem fingir não saber disso. Dito isso, vamos aos games.

Nesse caso específico de Tomodachi Life, a Nintendo é uma empresa muito muito tradicionalista. Por esse tradicionalismo radical deles, talvez a própria conduta seja de tratar o homossexualidade como tabu mesmo. Algo como já disse ali antes "não vamos botar casais gays no jogo porque isso pode fazer as crianças virarem gays, e aí os pais não vão gostar e nós vamos sair mal". Se for essa mesmo a mentalidade deles, então acho que eles devem se atualizar. O bom é que o 3DS permite atualizações, ou seja, se eles sentirem a necessidade (ou se a galera apertar) eles podem muito bem jogar uma atualização e permitir casais do mesmo sexo no jogo e aí tá tudo certo entre eles e a comunidade GLS.

Sobre outros casos, como já disse não sei muito sobre. Mas lembro que em MMORPGs, como Ragnarok, que eu jogava lá pelos idos de 2008, possuíam a opção de casamentos, mas não entre o mesmo gênero. Se não me engano hoje pode fazer isso, já que faz MUITO tempo que não procuro saber sobre Ragnarok.

Agora falando sobre outro tipo de preconceito, recentemente tivemos o caso onde um jornalista "especialista" em jogos afirmou estar decepcionado com Mario Kart por ele não possuir nenhum personagem negro. What?

O fato da Nintendo não possuir nenhum personagem negro em Mario Kart não significa necessariamente que eles sejam racistas. Afinal, a série Mario já tem mais de 25 anos e usam os mesmos personagens desde sempre. Os jogos da Nintendo são mais característicos do povo JAPONÊS, tendo mais cara do pessoal oriental mesmo. Não é preconceito, mas sim questão cultural deles. Além do mais, se o problema for o uso de um personagem negro, então o jogador pode muito bem fazer um Mii de pele escura e botar no jogo. Não há preconceito por parte da Nintendo aqui.

Além do mais, há uma infinidade de jogos com uma infinidade personagens negros e muitos deles representando uma infinidade de culturas, sejam reais, sejam fictícias.

Enfim, não acho que deva haver censura sobre os assuntos que eram tabu há alguns anos atrás. Vamos ver se com a evolução da sociedade atualmente as empresas vão começar a mudar suas mentes também.

SucodelarAngela
SucodelarAngela

Bom, confesso que estava mais por fora que bunda de índio sobre essa confusão toda sobre o Tomodachi Life. Mas já munida das informações, vamos seguir em frente.

Falar de relacionamentos entre iguais sempre foi tabu e vai continuar sendo por muitos anos. Infelizmente, as pessoas ainda são muito preconceituosas e não é um beijo gay numa novela global que vai mudar isso. Vi muita gente que não assistia a novela por causa dos homossexuais ali representados, e muitas outras que assistiam apenas para criticar ou rir. E não adianta dizer "eu nem sou preconceituoso, tenho até amigos gays" - as frases mais homofóbicas começam exatamente assim.

No entanto, eu acho excelente que as mídias mais acessadas, como a TV e o cinema, tentem mostrar cada vez mais às pessoas que isso não é um bicho de sete cabeças. Que não é errado. Que é natural. Como o Somari falou ali em cima, há dez anos isso seria absurdo, mas hoje é realmente muito comum ver casais homossexuais por todo lugar, sendo felizes, exatamente como qualquer casal "normal", simplesmente porque É normal. Mas tem gente que simplesmente não entende isso. E muita gente também ainda traz em si o preconceito e os conceitos errados advindos da criação errônea de alguns pais, que tratam a homossexualidade como doença, como algo sujo e/ou degradante, como algo resultante de influência, ou pior, até como heresia.

Assim sendo, esse tipo de pai tende a proibir em casa coisas que remetam à homossexualidade. O mesmo acontece com outras mídias, e aí incluímos os videogames. Se na televisão o pai mantém controle assistindo algo diferente na TV ou ocupando o jovem com outras atividades, nos videogames eles evitam a compra do jogo... E a Nintendo, como empresa tradicionalista que é, com grande maioria de usuários infanto-juvenis, vai se preocupar com isso, sim, até por já não estar muito bem das pernas em relação às vendas de seu último console. O que ela menos pode querer é algum tipo de treta relacionada a seu nome e alguma confusão, seja na comunidade LGBT, seja com a comunidade afro, seja com a comunidade indígena ou whatever.

Torçamos para que haja algum tipo de atualização pro jogo que permita o relacionamento homoafetivo, eu ficaria muito, muito feliz com isso. Torçamos para que, pelo menos, uma sequel do jogo permita isso! Todos devemos ter direitos iguais, até nos videogames.

Tchulanguero
Tchulanguero

Nessa treta do Tomodachi Life, existem dois pontos a serem observados: o da empresa que produz o jogo e o dos jogadores.

A questão do lados dos jogadores é bem simples: eles querem ser devidamente representados em um jogo que se baseia em interações sociais da forma mais perfeita possível. Aliás, isso é muito reforçado a partir do momento que o seu avatar no jogo é justamente o seu Mii, ou seja, uma representação virtual da sua pessoa, ainda que de forma simples. É um pouco mais complexo do que o caso do Mass Effect, porque lá o seu avatar não necessariamente representa você, e a estranheza maior se devia ao fato do jogo permitir relações "mulher x mulher" e não "homem x homem". Se ele fosse limitado ao "tradicional" "homem x mulher", talvez o barulho houvesse sido menor.

Do outro lado, assim como já disseram, a Nintendo é uma empresa super conservadora, principalmente no que diz respeito a tradições, sejam elas "boas" ou "ruins". E todo mundo sabe que o povo japonês é muito reprimido sexualmente, independente de quem gostem, e o simples fato de falar sobre determinados assuntos é algo inimaginável para eles. Caramba, o povo não pode nem se beijar em público, é proibido! E antes que alguém venha citar mangás e animes, além de eles possuírem toda uma regulamentação para este tipo de conteúdo, por menos que faça sentido para nós, eles funcionam praticamente como uma válvula de escape para toda essa repressão.

E analisando essa questão cultural, por mais que eu concorde que é uma visão estreita e atrasada, ficar extremamente injuriado por um jogo feito para o público oriental e que só veio parar para esses lados do planeta por questões comerciais, chega a ser exagero. Acho válida a mobilização feita em cima do assunto, mas o máximo que a Nintendo vai fazer agora, creio eu, é demitir o cara do marketing por ter dado respostas tão ruins. E claro, se muitos homossexuais demonstrarem interesse suficiente no jogo, podem ter certeza que em uma próxima versão eles pensarão nesta possibilidade desde o início do desenvolvimento. Porque agora, embora seja tecnicamente possível esta opção via atualização, eu tenho minhas dúvidas se a Nintendo irá se movimentar para agradar um grupo de jogadores em específico.

No mais, é tudo uma questão de público. É nítido que o mercado de jogos é voltado muito para os héteros / adolescentes / masculino, porque são quem geram retorno financeiro para as empresas em sua maioria. Ultimamente é muito comum ouvir sobre mulheres e gays exigindo que as empresas pensem melhor neles, mas infelizmente, enquanto tudo for apenas uma manifestação de ideias e não número de vendas, a situação sempre será assim. Mas as coisas estão mudando, até porque o mundo está mudando (como sempre), só é preciso continuar demonstrando as vontades, mas tendo paciência suficiente para que tudo chegue ao seu devido lugar em seu tempo.

João Roberto
Professor João Roberto

Relacionamentos em jogos? Cara, eu já achava chato e piegas em The Sims com aqueles abraços toscos. Tomodachi Life? Nunca li nada a respeito, confesso desconhecer. Agora, se empresa "A", "B" ou "N" quer incluir ou não algum conteúdo, o que fazer? Se alguém achar isso desrespeitoso, que não compre nem comente. Deixe no limbo...



E você, o que tem a dizer sobre o assunto? Deixe a sua opinião aí em baixo, nós queremos saber o você pensa. E também não deixem de sugerir novos temas para as butecadas, mandem um e-mail para butecada@vaojogar.com.br com as suas sugestões ;)

Compartilhe

Pin it


Leia também...



11 tagarelices já foram feitas!


e-mail  
nome  
localização  
site  
tagarelice   ativar o editor de texto desativar o editor de texto


E-mail Receba notificações para novas:     ok respostas      ok tagarelices      ok publicações

 

  • avatar de leandro (leon belmont) the devil summoner
    leandro (leon belmont) the devil summoner
    23/05/2014 às 12:41:47   localizacao Recife-Pe
    homossexualidade com censura nos jogos? deviam liberar, a Capcom já fez coisas piores nos seus jogos com essa temática e ninguém mencionou nada a respeito, empresa que abomino hoje.

    deve ser como a SucodelarAngela falou, a Nintendo está com dificuldades com o WiiU, como a maioria que compra algo da Nintendo é conservador, vai pegar mais mals ainda a empresa. mas e os LGBTs que compram os jogos da empresa, como ficam?


    é uma faca de dois gumes mesmo. e a empresa vai desagradar um dos lados, se fosse o Shigeru, estaria preocupado agora

    "Agora falando sobre outro tipo de preconceito, recentemente tivemos o caso onde um jornalista "especialista" em jogos afirmou estar decepcionado com Mario Kart por ele não possuir nenhum personagem negro. What?"

    ahhh................................é mesmo!! porque não tem personagens negros nos jogos da Nintendo......

    hhhmmmmm......algo se pensar, não?

    Responda!
  • avatar de Marvox
    Marvox
    23/05/2014 às 13:32:57   localizacao São Paulo/SP
    Ótimo assunto abordado. Vão Jogar! está de parabéns.

    Se situações como essas já existem há vários anos no cinema, por que não aconteceria nos jogos?

    Exemplo suave, o Pernalonga mesmo em vários episódios já dava beijo na boca do Hortolino desde quando o desenho passava no Programa do Bozo, meu, isso não quer dizer nada.

    O próprio jogo do Max Payne 1, o único personagem negro era um dos guarda-costas do Punchinello, e ele nem era tão destacado no jogo, no filme já colocaram um ator negro sendo o Jim Bravura para deixar mais visível para todos. Mas porque é cinema, um publico maior, mais geral. Quantas pessoas no mundo jogaram o primeiro Max Payne, tirando as que gostam de videogame?

    Mas isso não precisa ser colocado como tabu, é só saber lidar. Se o problema é colocar um personagem negro em Mario Kart 8, ela poderia colocar por exemplo, o Anti Guy ou o Snifit (Super Mario Bros 2).
    Os personagens tem ficado cada vez tão "humanos" que acontece de ter esses impasses de personalidade. E não precisa de todo esse exagero, que na verdade, nem deveriam existir já que tudo não passa de desenho, animação e não é a realidade. O que realmente importa é o fato de você se divertir.

    Daqui a pouco para evitar esses problemas, teremos jogos apenas com animais, carros e naves, assim evita qualquer etnia. Videogame é a forma mais pura de se dizer "somos todos iguais", não existe cota, não existe raça. Existe apenas vontade de criar e fazer acontecer.

    É importante dar abertura para todos, lógico, independente do que for, sexo ou etnia, entretenimento não tem gênero. Bora ligar o videogame/PC e Vão Jogar!

    Responda!
  • avatar de Sekto
    Sekto
    26/05/2014 às 13:32:47   localizacao São Luís-MA
    Demorei participar desse assunto aqui pq tava com ideias conflitantes aqui. Acho que meu ponto de vista soa como homofóbico.
    Eu acho isso um tanto desnecessário, pois esse tipo de relacionamento em jogos nem devia existir. Pois já foge um pouco da verdadeira diversão de "jogar video-game".
    É coisa pra pervertido ou reprimido, como é o caso deles lá.
    Mas concordo com os argumentos de quem é a favor pois é muito a questão de ponto de vista.

    @RAFA
    Excelente ponto esse da válvula de escape.
    Penso da mesma forma.

    Quanto a negritude do caso do Mario, eu ficaria mais ofendido se visse um negro entrando forçado num mundo ao qual não pertencia até então.
    Sou negro e a falta de personagens da minha cor não incomoda nem um pouco, muito pelo contrário, fico aliviado pois pelo menos não to vendo um "eu" estereotipado na tela.
    Já basta ver tantos negros em posições baixas em novelas.
    Exercício simples pra quem assiste novela na globo:
    Encontre uma personagem negra do núcleo.
    Resposta? Se não estiver na cozinha estará limpando o chão.
    Mas isso já foge assuntos "gamísticos",então paro por aqui.

    Responda!
  • avatar de sucodelarangela
    sucodelarangela
    26/05/2014 às 13:55:33   localizacao São Luís - MA
    @Leon Belmont

    Atualmente tem sido bem complicado deixar alguma comunidade de fora de alguma coisa. Como você disse, como ficam os LGBTs que compram o jogo? E se você oferece essa oportunidade a eles, a comunidade afro vai questionar porque eles também não tem vez em determinado jogo. É realmente bem complicado.
    Agora, nos jogos da Nintendo nós temos o Chomp. O Chomp é negro, huahuahua. (Brinks)

    @Marvox

    Primeiramente, obrigada pelas congratulações, parceiro!
    O problema todo está resumido no que você falou: é só saber lidar. Mas esse é exatamente o X da questão, as pessoas não sabem lidar.
    Me lembro todo aquele auê em relação a Resident Evil 5, onde as comunidades afro decidiram entrar com um processo contra a Capcom porque os zumbis eram negros. Porra, mas você tá na África, queria só zumbis albinos? É uma falta de coerência absurda...

    @Sekto

    Eu não acho que seja coisa de pervertido, até porque ser pervertido é algo que atinge a todos, independente de raça, credo ou sexualidade. Se eu pegasse meu bonequinho no The Sims e colocasse pra transar com todo mundo do sexo oposto, também poderia ser considerado perversão.
    O fato é que, se o jogo permite que haja relacionamentos entre os personagens, porque um homossexual teria que se submeter a fazer um avatar heterossexual? De certa forma, é uma privação de direitos.

    Responda!
  • avatar de Sekto
    Sekto
    26/05/2014 às 14:03:54   localizacao São Luís-MA
    @SucodelaraAngela
    O que eu quis dizer e me expressei mal foi:
    Coisa de pervertido hétero que procura nesse tipo d coisa um alívio pra seus prazeres.
    E também pensei em avatares com sexo definido mas sem vida sexual, entendeu?
    ;-)

    Responda!
  • avatar de sucodelarangela
    sucodelarangela
    26/05/2014 às 14:13:48   localizacao São Luís - MA
    @Sekto

    Aaaaaaaahhhh, saquei! ;)
    Realmente tinha entendido errado!

    E também, se é pra acabar com confusão, nada de relacionamentos mesmo (até em videogame namorar é encrenca, huahuahua)!

    Responda!
  • avatar de Sekto
    Sekto
    26/05/2014 às 17:04:35   localizacao São Luís-MA
    Sábias palavras menina rsrsrs
    O pessoal tem q ter consciência que aquilo é pra jogar, quer "namorar" desliga o game e vai atrás do que gosta: Homem, mulher, Animal, etc...
    :-P

    Responda!
  • avatar de Rafael "Tchulanguero" Paes
    Rafael "Tchulanguero" Paes
    28/05/2014 às 12:28:02   localizacao Vespasiano - MG
    @Para Todos

    A necessidade de inclusão desse tipo de interação vai muito da proposta do jogo. Imagina um The Sims sem o "Oba-oba", qual seria a graça? E obviamente, se essa réplica da sociedade faz parte da mecânica do jogo, ela não deve excluir nada que faça parte do mundo real.

    Sobre a questão dos negros em Mario Kart, é muito exagerado. Primeiro que poucos personagens ali são humanos, e os que são, além de terem sido criados por orientais, onde a variação de tom de pele fica entre o branco e amarelo, é baseada em europeus.

    Pra falar a verdade, essa parada de "quotas de minorias" é que é o verdadeiro preconceito nos jogos. Orientações sexuais, tons de pele, e seja lá o que for, deveriam ser introduzidos conforme a proposta e visão do criador, e não para agradar público X ou Y.

    Responda!
  • avatar de João Roberto
    João Roberto
    29/05/2014 às 12:43:51   localizacao Apucarana - PR
    Essa história me lembrou uma coisa...

    url imagem: img.photobucket.com/albums/v231/ursula_boi/birdo23.jpg

    Responda!
  • avatar de sucodelarangela
    sucodelarangela
    29/05/2014 às 13:10:27   localizacao São Luís - MA
    Quer bicho mais diversificado do que esse? Huahuahua, bem lembrado, Professor!

    Tem essa aqui também:
    url imagem: naoclick.com.br/nao_click/wp-content/uploads/2014/02/gata24_poison.jpg

    Responda!
  • avatar de João Roberto
    João Roberto
    29/05/2014 às 13:14:49   localizacao Apucarana - PR
    @ Ângela

    Minha dupla em Street Fighter X Tekken: Ryu e Poison...

    A única coisa é que eu não paro pra pensar nisso, é só um jogo...

    Responda!
Acompanhe as tagarelices deste escrito por e-mail
e-mail  

       

fechar

Parceiros & Links

47|Arquivos do Woo|http://arquivosdowoo.blogspot.com.br|De tudo um pouco na medida certa.§43|My Detonation|http://mydetonation.blogspot.com.br|O blog do grande Trevoso, sobre o que ele joga, jogou e quer jogar, com indicações de downloads e vídeos.§52|Marvox Brasil|http://marvoxbrasil.wordpress.com|As formas mais variadas do universo dos games e vídeogames em um só lugar. Matérias, detonados, curiosidades, podcasts e vídeo-análises. Leia o Blog MarvoxBrasil e desperte o gamer em você!§61|Nação Cucamonga|http://nacaocucamonga.blogspot.com.br|A cultura do terceiro mundo esmagando a do primeiro.§58|Videogames com Cerveja|http://www.vgscomcerveja.com.br|Videogames com Cerveja é um blog sobre games, cujo o principal objetivo é compartilhar experiências "videogamísticas" (tanto na jogatina quanto no colecionismo)! Então não espere encontrar muitas notícias ou reviews detalhados sobre games por aqui!§42|Gamer Caduco|http://gamercaduco.wordpress.com|Histórias de um gamer que está cada vez mais próximo de caducar de vez.
logo
Vão Jogar! - Um site que aborda a cultura dos videogames com seriedade e bom humor.
Vão Jogar! & TMS criados por Rafael "Tchulanguero" Paes - 2008 ~ 2017
topo rodapé